NOTA TÉCNICA ADAGRI/DISAN Nº 01 (23/07/2019)

24 de julho de 2019 - 10:48 # # #

Ascom Adagri

Confirmação de caso positivo de Febre do Nilo Ocidental em Equídeo – município de Boa Viagem

Em decorrência de notificações de mortalidade em equídeos em vários municípios do estado, foram realizadas investigações epidemiológicas pelos servidores da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (ADAGRI), com posterior colheita de amostras de tecido nervoso dos equídeos que vieram a óbito nos municípios de Caucaia, São Gonçalo do Amarante, Canindé, Abaiara, Boa Viagem, Irauçuba e Limoeiro do Norte. As referidas amostras foram encaminhadas para o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e posteriormente para o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LFDA) de Pedro Leopoldo (MG) para diagnóstico diferencial. No dia 19 de julho, o LFDA. confirmou diagnóstico positivo para Febre do Nilo Ocidental (FNO) em 1 equino do município de Boa Viagem.

A FNO é uma doença febril aguda transmitida por mosquitos, que causa encefalomielite. Trata-se de uma zoonose (doença passível de transmissão para seres humanos) e várias espécies de vertebrados são susceptíveis à infecção. As aves silvestres são os reservatórios naturais do vírus, e a maioria delas não desenvolve doença clínica. O vírus se mantém na natureza em um ciclo epidemiológico de transmissão entre aves silvestres e mosquitos, sendo o gênero Culex o principal vetor. Não há tratamento específico para a Febre do Nilo Ocidental em equídeos, apenas tratamento de suporte e o manejo dos sinais clínicos.

O primeiro caso humano registrado da FNO no Brasil foi documentado em 2014, no Piauí. Em abril de 2018, epizootias em equídeos com manifestações neurológicas foram investigadas na região norte do Espírito Santo, sendo confirmado 1 (um) caso de FNO no município de São Mateus-ES, constituindo o primeiro registro da doença em equídeos no Território Nacional.

Uma série de ações estão sendo desencadeadas pela Adagri e Superintendência Federal de Agricultura – SFA/CE, inicialmente com o deslocamento da coordenação do Programa Estadual de Sanidade Equídea para o município de Boa Viagem, com a missão de detalhar o processo de vigilância epidemiológica desencadeado nesse município.

Além disso, por se tratar de uma zoonose (enfermidade passível de transmissão para seres humanos), a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará foi notificada oficialmente, visando a execução de ações em conjunto (vigilância em humanos).